terça-feira, 15 de Abril de 2014

Buarcos.... Rua do Arco

Foto Sena Cardoso

Já não há revistas como antigamente

 

Assunção Esteves, a “Miss Prada” do Parlamento


Assunção Esteves chegou a presidente da Assembleia da República depois do erro de casting que foi a escolha de Fernando Nobre. A sua indicação, por parte do PSD, foi bem recebida pelos restantes partidos. Não havia como não ser: jurista brilhante, tornou-se a primeira mulher a chegar ao cargo. O pior foi depois. Desde que tomou posse, Assunção Esteves acumulou uma série de polémicas e tomou inúmeras atitutes que não se limitam a colocá-la em causa: desprestigiam o cargo que ocupa. A declaração infeliz sobre os militares de Abril é apenas a último dos casos. De memória houve os episódios sobre o acesso às galerias do parlamento, as declarações sobre a transladação para o Panteão Nacional, etc.
 
Logo após a tomada de posse começaram a correr pelos corredores do Parlamento os primeiros relatos da personalidade colérica da nova Presidente da Assembleia. Depois foram os funcionários do seu gabinete que começaram a saír a um ritmo muito superior ao normal. Isso levou-nos, na Sábado, a tentar perceber o que se passava. O resultado foi um artigo que conta como Assunção Esteves menoriza os funcionários com quem trabalha - daí as demissões e a alcunha de “Miss Prada do Parlamento”. Uma assessora de imprensa durou nove dias. Sobre o actual secretário de Estado da Cultura, Barreto Xavier, disse em plenario que “não sabe escrever duas frases juntas e que não lhe serve para nada”.
 
Mais: o artigo conta como Assunção Esteves colocou um membro do gabinete a alterar constantemente a sua página na Wikipédia de modo a eliminar dados que ela não gosta que sejam públicos: o casamento com José Lamego, a profissão do pai (alfaiate), o seu envolvimento no atropelamento de uma idosa, em Faro, e o facto de se ter reformado aos 42 anos como juíza do Tribunal Constitucional com uma pensão superior a sete mil euros mensais. Para não falar na obsessão das limpezas: leva lençois para os hotéis e renovou a casa de banho do seu gabinete para não se sentar na mesma sanita de Jaime Gama.
 
Há também quem se queixe de não perceber o que ela diz. O episódio do inconseguimento tornou-se célebre. Mas a linguagem de Assunção Esteves vai muito mais longe. Basta dar uma vista de olhos pelos seus discursos. Agora, o problema não foi esse. Pelo contrário. Percebeu-se demasiado bem o que Assunção Esteves afirmou. E o que pensa sobre o assunto.
 

Ora aqui temos um homem coerente e sobretudo de PALAVRA

Para melhor leitura clicar em ecima da Imagem

Naval organiza "PASCOA CUP 2014"

Para melhor Leitura clicar em cima da imagem

TRAQUINAS DA MEO KIDS ACADEMIA94/GINÁSIO VENCEM TORNEIO DISTRITAL PASCOAFOOT!


Decorreu este sábado à tarde (12/04), em S. Martinho do Bispo, o Páscoafoot, torneio distrital de futebol com a participação de várias equipas de Traquinas.
 
 A equipa de Traquinas da MEO Kids Academia94/Ginásio foi a vencedora do Torneio, superando na final a equipa organizadora do Coimbrafoot Esperança A.C., com uma vitória por uns conclusivos 9 a 0, com golos de Léo (3), Duarte (2), Ricardo, Gonçalo 1, Kiko e Lucas 1.
 
Nas palavras de Nuno Maurício, da MEO Kids Academia94/Ginásio, "esta vitória é a demonstração da qualidade do trabalho de formação que está a ser feito pelo Professor Pedro Simões e restante equipa técnica, bem como a prova em campo da garra e qualidade dos nossos jovens craques que têm um futuro muito risonho pela frente, não apenas como futebolistas mas também como homens".

 
NUNO CACHULO OLIVEIRA NO BRASIL PARA PARTICIPAR NA GO CUP 2014!
 
O atleta Nuno Cachulo Oliveira da MEO Kids Academia94/Ginásio que passou esta época a alinhar pelo Sporting Clube de Portugal,  foi um dos convocados para alinhar pelos leões no Torneio GO cup 2014, que decorrerá entre 12 e 19 de Abril em Goiânia, Brasil.
 
Trata-se de uma das competições mais importantes em termos de Benjamins e onde participarão equipas de vários continentes, sendo de destacar as equipas do Flamengo, do Grémio, do Vasco da Gama, do Benfica e do Sporting.


Feira Medieval Infante D Pedro


Acompanhe as Notícias do Dia Minuto a Minuto

 
******
*****
*****
*****
*******
 
******

segunda-feira, 14 de Abril de 2014

Figueira da Foz.... Este OASIS.... Que mau cartão de visita

Foto: Pepe Martin

A irreverência do Teatro e do Jornalismo


O Grande Auditório do Centro de Artes e Espetáculos (CAE) não se encheu, no passado sábado, para assistir à primeira peça de teatro escrita pelo único Prémio Nobel da literatura português: “A Noite”, de José Saramago. Talvez a Figueira da Foz não tenha público que justifique a vinda destes grandes espetáculos a uma das melhores salas de espetáculos da região centro… Embora o teatro não se justifique sem público, quero acreditar que o pouco público que esteve no CAE mereceu a grande peça que viu.
 
Em palco, a redação de um jornal, na noite de 24 para 25 de abril de 1974. Quando já ali corria o (supostamente) boato de que viria para a rua uma revolução, o chefe de redação telefonava sucessivas vezes para o Exame Prévio, a fim de apurar os cortes da edição que estava a fechar. Enquanto isso, ia-se assistindo a uma mimesis do que era o regime: também naquele jornal – de que, segundo um dos personagens, “de jornal só tem o nome e o papel” – havia uma hierarquia que era quase sagrada e uma irónica defesa da camaradagem, do rigor, da objetividade e da verdade, enquanto os grandes assistiam e – pior – aceitavam passivamente assinar um jornal que “já vem feito pela censura”, além de dizerem abertamente respeitar as divergências de opinião “no domínio do razoável”.
 
“Grândola” toca. Acentua-se a divisão entre a velha guarda do jornal e o seu sangue jovem – personificado numa estagiária desiludida com a realidade de um falso jornalismo –, num seu colega e no chefe da tipografia, que se recusa a materializar um jornal com cortes da censura e sem uma notícia sobre a revolução que estava a acontecer, a qual ninguém sabia (nem se preocupava em apurar) por quem era feita e quais os seus objetivos.
 
No final, tal como no país, venceu a irreverência. Mas afinal, o que devem ser o teatro e o jornalismo, se não irreverência em contar as histórias que constituem a História do seu país?! E juntos, então, está provado pel’ “A Noite” que cumprem sublimemente esse objetivo.
 
NOTA: “A Noite” é uma oferta Montepio, com adaptação de Paulo Sousa Costa e encenação de José Carlos Garcia.


Inês Fonseca Marques,
13.abril.2014
 

Inês Fonseca Marques inicia  hoje uma colaboração com o Marcha do Vapor.   Estudante de Jornalismo, Inês é uma querida amiga que eu conheci na S I T, temos em comum o amor pelo teatro.
O Convite feito para que INês possa elogiar aquilo que ela  julgue merecer elogio, mas tem página aberta para criticar  quando o assim entender.
Que sejas benvinda a este convivio, certamente que os leitores do Marcha do Vapor ficarão satisfeitos por poderem ler as tuas crónicas. 
Rogério Neves 

Projecto de transformação de algas vence Concurso para a Economia do Mar

 
O projeto vencedor, denominado LUSALGAE, é promovido por Joana Valente, Loic de Carvalho e Tiago Morais, biólogos oriundos de Coimbra e Leiria, e aposta na extração e transformação de macro-algas para produção de produtos cosméticos 100 por cento naturais.
 
A criação de uma empresa de extração e transformação de algas da ilha da Morraceira, Figueira da Foz, venceu hoje o Concurso de Ideias de Negócio para a Economia do Mar promovido pela autarquia local.
 
O projeto vencedor, denominado LUSALGAE, é promovido por Joana Valente, Loic de Carvalho e Tiago Morais, biólogos oriundos de Coimbra e Leiria, e aposta na extração e transformação de macro-algas para produção de produtos cosméticos 100 por cento naturais.
 
Os promotores, premiados com 2.500 euros no concurso organizado pela autarquia da Figueira da Foz e Instituto Politécnico de Coimbra, poderão receber mais 2.500 euros caso a empresa venha a ser criada no concelho até finais de 2014.
 
Na cerimónia de anúncio do vencedor, hoje realizada no Centro de Artes e Espetáculos, o presidente da Câmara da Figueira da Foz, João Ataíde, frisou que o concurso pretendeu "criar grandes incentivos à criatividade".
 
Já sobre a área de negócio escolhida pelos vencedores, o autarca considerou que "ainda há muito para fazer no domínio da aquacultura".
 
O Concurso de Ideias de Negócio para a Economia do Mar lançou como desafio a apresentação de uma ideia de negócio original relacionada com o setor, com aplicabilidade no município da Figueira da Foz, tendo sido submetidos à análise do júri mais de três dezenas de projetos.
 
 

Acompanhe as Noticias do Dia ...MInur to a Minuto

 
 
*****
******
 
*****



domingo, 13 de Abril de 2014

Tenham uma boa semana

Foto: PePe Martin

Cartaz Desportivo

Cartaz Desportivo 10,11,12 e 13 de Abril 2014


Confira os principais resultados desportivos do fim de semana, nomeadamente  onde participam equipas do concelho da Figueira da Foz


Naval cede empate (0-0) caseiro frente ao Carapinheira

Foto Ana Maria Costa
 
Naval e Carapinheira não foram além do nulo sem golos mas escreva-se que pouco mais fizeram para merecer outro resultado.
 
Um resultado que não interessa a nenhuma das equipas o Carapinheira continua sob o espectro da descida a Naval está a perder terreno e aproxima-se dos lugares perigosos.
 
Quanto à partida falhanço total dos dois ataques superados por duas defesas que poucas veleidades permitiram aos adversários.
 
Quanto a detalhes a Naval uma vez mais não consegue terminar a partida com 11 unidades desta feita jogou reduzida a 10 a partir do minuto 71 por acumulação de amarelos de Pinéu.
 
Aos 62 minutos Bruno Batista fez o impensável desperdiçou um golo de baliza escancarada na sequência de um remate devolvido pela baliza do Carapinheira, ao minuto 88 uma grande penalidade cremos que ficou por marcar erro de Nuno Roque que caso tenha razão para não assinalar o castigo máximo então não pode deixar passar o “Simulador” sem amarelo
 
O resultado acaba por se ajustar já que nenhuma das equipas mostrou arte ou engenho para surpreender a outra.

“Mais Centro” aprova financiamento para construção de novos Balneários nos Sintéticos do Municipal Bento Pessoa

 

 
Conforme a promessa então feita no dia da inauguração pela Dr Ana Abrunhosa da Comissão Directiva do “Mais Centro” a Camara Municipal da Figueira da Foz, viu aprovado pela “Mais Centro o financiamento para a construção de novos balneários nas estruturas sintéticas do Municipal Bento Pessoa.
 
Um investimento cujos custos rondam os 200 mil euros (que inclui também um estudo geológico e geotécnico do campo) que perfaz um montante global investido no complexo (incluindo os campos) de 732.471,58€ com uma comparticipação FEDER de 85%.
 
 
Ao “Figueira na Hora”, o presidente da Câmara Municipal, João Ataíde assumiu “esta infra-estrutura era fundamental para o complexo, tendo sido lançado o desafio ao Programa Mais Centro no dia da inauguração dos sintéticos. Felizmente, a Comissão Directiva foi sensível aos nossos apelos e a obra será realizada concluindo-se assim as intervenções previstas”.
 
João Ataíde, refere ainda que “a Figueira da Foz ficará, finalmente, com este equipamento completo, nele sendo inseridas as condições ideais para a prática desportiva e sobretudo para a formação dos muitos jovens que o frequentam”.

Mais um artista com provavel diploma Falso


Ministério Público investiga licenciatura de deputado socialista
 
A Licenciatura em Direito do deputado socialista André Figueiredo, que foi secretário nacional adjunto do PS durante a liderança de José Sócrates, está a ser investigada pelo Ministério Público, avança o semanário Sol na edição desta sexta-feira.
 
O Ministério Público da Figueira da Foz abriu um inquérito para averiguar indícios de falsificação no processo de licenciatura da antiga Universidade Internacional (UI) daquela cidade, adianta o jornal, que acrescenta que o Tribunal Administrativo e Fiscal de Coimbra estará também a reunir informações para um eventual pedido de anulação da licenciatura.

sábado, 12 de Abril de 2014

Tenham um Bom Fim de Semana


O DESPESISMO NÃO DÁ TRÉGUAS E OS IMPOSTOS ESGOTAM-SE

 
 
Agradeço a quem tem disponibilidade psicológica para ler os relatórios do Tribunal de Contas - essa força de bloqueio - que os autarcas, secretários de Estado e ministros toleram.

De facto, essa força de bloqueio proporciona-nos momentos hilariantes, porque justiça não traz nenhuma.. é um tribunal muito pacato, diz apenas que acha mal roubarem tanto, que lamenta, que está mal... mas não passa disso.
 

sexta-feira, 11 de Abril de 2014

Já nem o Pai acredita nele

António Passos Coelho

Quarenta anos depois, disse acreditar que a Revolução de Abril trouxe "vantagens fantásticas" ao país, com destaque para a liberdade de expressão e de crítica, ainda ao nível do Serviço Nacional de Saúde ou da justiça.
 
Lamentou, no entanto, que não se tenha conseguido aproveitar o que estava bem antes e afirmou que não se revê neste Portugal, onde a falta de educação é encarada com normalidade e se insultam ministros e presidentes. "Vejo tudo isto com muita preocupação. Não há um meio-termo, onde se critique sem insultar", questionou.
 
António Passos Coelho considerou ainda que o Portugal de hoje "é uma coisa séria" e culpa os políticos, dos vários Governos PS e PSD, pelo estado a que o país chegou.
 
"Isto está mau, está a ser complicado a cortarem-nos nos vencimentos, está mal, e o Estado não tem dinheiro, de maneira que isto é um problema", concluiu.
Diário Digital com Lusa