sábado, 28 de julho de 2012

Ultima hora...Figueirense João Costa 7º na Final de Tiro em PAC 10 m


João Costa repetiu hoje o sétimo lugar de Sydney2000 e conquistou o primeiro diploma para Portugal em Londres2012, na prova de pistola de ar comprimido (PAC) a 10 metros, o que para o militar "já é uma medalha".

"Um diploma é um diploma. Foi aquilo que consegui. Aspirava a mais, com certeza, toda a gente aspira a mais, mas temos de ter consciência do que somos capazes e um diploma é uma medalha. Sim, é uma medalha", afirmou no final da prova.

O sargento-ajudante da Força Aérea disse ainda ter cumprido o objetivo de "vir fazer o melhor" e que não está "atrás das medalhas" em Londres, admitindo o "sentimento de trabalho realizado" e fazendo questão em lembrar que não é um profissional, como a maioria dos atiradores presentes.

"Eu tenho consciência das minhas possibilidades e quando digo isto comparo com os outros atletas que estão ali no pódio e que dedicam a sua vida ao tiro. Tenho uma profissão e, dedicando-me ao tiro aos fins de semana, nas horas vagas ou quando sou requisitado para isso, é irreal sonhar com a mesma prestação que aqueles profissionais", explicou.

Apesar do sétimo lugar, João Costa melhorou em relação à prestação em Sydney2000, quando totalizou 679,4 pontos contra os 682,3 de Londres2012 (583 da qualificação, mais 99,3 da final).

O título olímpico foi para o sul-coreano Jongoh Jin, medalha de prata em Pequim2008, com 688,2 pontos, tendo os restantes lugares do pódio pertencido ao italiano Luca Tesconi, com 685,8, e ao sérvio Andrija Zlatic, com 685,2.

O campeão olímpico de 2008, o chinês Wei Pang, foi quarto, com 683,7 pontos.

Apesar de falhar o objetivo de chegar a um galardão olímpico, João Costa não perdeu a boa disposição e nas primeiras declarações após a prova confessou: "Sinto-me com fome, porque ainda não almocei. Já são quatro da tarde e ainda vou comer alguma coisa. Estava focado com o meu desempenho e nem sentia fome".

Agora, atirador português, o mais velho dos atletas portugueses presentes, com 47 anos, diz que vai “mudar o interruptor" e treinar a Pistola Livre a 50 metros "com o mesmo afinco" que dedicou à PAC 10 metros, voltando a entrar em ação nos Jogos Olímpicos de Londres a 05 de agosto.

A qualificação de João Costa para a final originou o primeiro momento de grande alegria entre a comitiva portuguesa, que foi informada quando almoçava com o Presidente da República na Vila Olímpica.

11 comentários:

Luis Lopes disse...

Parabéns ao João Costa pelo excelente resultado. Julgo
que deveria ser dedicado ao ex-vice-presidente da Camara Dr Lidio Lopes principal mentor da destruição da Carreira de Tiro da Figueira da Foz.

Anónimo disse...

Boa!!!

António Querido disse...

São opiniões!
Mas o nosso compatriota João Costa, não deixou de treinar, pois não?
E se calhar em sítio mais apropriado!
Os meus parabéns ao nosso atirador.

Luis Lopes disse...

Senhor António Querido se ler a edição de A Bola de hoje (domingo) terá resposta para a sua pergunta.
A verdade é que o atleta não treina nem se prepara como outro atleta portque não tem local para treinar.
Vai ao Jamor uma vez por semana e dá uns tiros na cave da sua casa no Paião.

António Querido disse...

Pormenores que eu desconhecia, daí o meu ponto de interrogação!
Agora mais admiro o nosso atleta e vizinho, obrigado pela sua informação, Sr.Luís Lopes.

Anónimo disse...

esta figueira da foz deve ser unica neste país desportivo senão vejamos:tem um atirador olimpico que não tem sitio para treinar.tem uma equipa profissional de futebol que não tem campo proprio nem sede.tem varios campeões nacionais de atletismo (suovais)que treinam na praia. Perante isto o nosso presidente da camara deve estar orgulhoso.

Anónimo disse...

Mas alguém treinava na carreira de tiro? Aquilo tinha erva pela cintura de qualquer pessoa mediana, só mandaram o cortador de relva do estádio ir desbastar aquele "mato" na semana que saiu a decisão de deitar a carreira de tiro abaixo. Pior ficaram os toxicodependentes que a usavam como abrigo e "sala de xuto". Sejamos objectivos.

Luis Lopes disse...

Senhor Anónimo das 00:49

Acerca do seu comentário quero inform´-lo por conhecimento de causa que das duas uma: Ou está mal informado ou alguem o está a enganar.
Pergunta se alguém treinava na Carreira de Tiro. Pois digo-lhe que treinava o João Costa e toda a equipa de tiro da Naval que foi Campeã Nacional.
Também era verdade que existia um verdadeiro matagal a circundar a Carreira e quem o costumava cortar era exactamente o João Costa quando treinava tiro a 50 metros.
Quanto aos toxidependentes deve estar mal informado pois em determinada altura houve incicios disso mas não nas instalações interiores da Carreira mas numa zona exterior onde rebentaram com a rede.
Quanto ao resto se culpas existem devem ser endereçadas à Camara Municipal pois trata-se de uma estrutura de sua pertença e de sua responsabilidade
Mais objectivo que isto não se pode ser
LL

Anónimo disse...

Costumo ouvir uns tiros no Quartel da GNR, no lado qu da para a Varzea, ja se lembraram de fazer um protocolo com a GNR?
Nao, e mais facil inventar desculpas para o Sr. Joao Costa nao ter condicoes para treinar, mexam-se porra.
Essa do Dr. Lidio,era escusada, ja chega o DR .Relaes, tenham tino.

Anónimo disse...

EXCELENTE COMENTARIO DO ANONIMO DAS 21:11. Uma crita com soluçao. Se calhar nem Navalista é e tem soluçoes para o nosso (digo nosso porque um atleta que representa o o nosso pais nao é só da Naval)atleta olimpico SR Costa. Quando eu disse para criticarem com soluçoes era isto que eu queria dizer. E o burro sou eu? Camada de desinteligentes.

Luis Lopes disse...

Anónimo das 13:35
O seu comentário é pertinente mas revela alguma falta de conhecimento na matéria. Um atleta de tiro de competição fá-lo deitado ou de pé em três distâncias 10m, 25 e 50.
A Carreira de Tiro da GNR é uma carreira de tiro de treino militar não tem condições para treino de competição e apenas tem 10 metros, é impossivel fazer tiro a 25 ou 50m. Para ultrapassar esta situação tentou-se um protocolo para a Carreira que fica junto ao Parque de Campismo da Orbitur e logo aí verificou-se que Tiro de treino militar nada tem a ver com tiro de competição, o que equivale a dizer que este local também não tinha condições.
A Camara Municipal (Vereação anterior) prometeu resolver o assunto e de facto resolveu-o... não fazendo nada.
Luis Lopes