quinta-feira, 9 de março de 2017

AFASTADO


Exceptuando por ligações familiares não consigo entender como um juiz de profissão não pode exercer a sua profissão em plenitude.

Estou a falar do juiz Rangel cujo profissionalismo tem sido muitas vezes questionado.
Desta vez foi o próprio Ministério Público que pediu o seu afastamento do Processo Marquês e o Supremo Tribunal de Justiça deferiu o pedido.

Se o juiz Rangel não merece a confiança do MP e do STJ para o Processo Marquês eu pergunto porque razão há-de merecer  confiança para julgar outros processos.


Se eu fosse Juiz e passasse por um problema destes confesso que questionaria a minha carreira profissional.

Ou será que haverá outras coisas por detrás da cortina e continuamos a fazer o papel de papalvos?

Sem comentários: