quarta-feira, 5 de abril de 2017

ATÉ QUE ENFIM VEJO A CORRUPÇÃO CONDENADA


O Tribunal da Relação do Porto reduziu a pena de prisão de Manuel Godinho, a mesma 'sorte', não teve Armando Vara, também arguido no processo Face Oculta.
O Tribunal da Relação do Porto confirmou, esta quarta-feira, a pena de prisão de cinco anos para Armando Vara, negando assim o recurso apresentado pela defesa. Contudo, o sucateiro Manuel Godinho viu a sua pena reduzida de 17 anos e seis meses para 15 anos e 10 meses de prisão.

O mesmo tribunal manteve também a pena de cinco anos de prisão efetiva para José Penedos.
Aos jornalistas, à saída do Tribunal, o advogado de Armando Vara disse estar "profundamente desiludido". "Não consigo compreender. Não tive acesso à fundamentação, mas custa-me muito a compreender esta decisão porque sempre me pareceu que ela era profundamente errada", reagiu Tiago Rodrigues Bastos, deixando no ar a hipótese de recorrer da decisão no Constitucional. "Neste momento todas as formas que processualmente forem adequadas a reagir contra esta decisão são uma hipótese", acrescentou.
Recorde-se que, Manuel Godinho tinha sido condenado em 2014, no âmbito do processo Face Oculta, por 49 crimes de associação criminosa, corrupção, tráfico de influência, furto qualificado, burla, falsificação e perturbação de arrematação pública.
O processo, que começou a ser julgado há cinco anos no Tribunal de Aveiro, está relacionado com uma alegada rede de corrupção que teria como objetivo o favorecimento do grupo empresarial do sucateiro Manuel Godinho nos negócios com empresas do setor do Estado e privadas.
Na primeira instância, dos 36 arguidos, 34 pessoas singulares e duas empresas, 11 foram condenados a penas de prisão efetiva, entre os quais se incluem Armando Vara e José Penedos.
Os restantes receberam penas suspensas, condicionadas ao pagamento de quantias entre os três e os 25 mil euros a instituições de solidariedade social.
A pena mais gravosa (17 anos e meio de prisão, em cúmulo jurídico) foi aplicada a Manuel Godinho, que foi condenado por 49 crimes de associação criminosa, corrupção, tráfico de influência, furto qualificado, burla, falsificação e perturbação de arrematação pública, resultando em 87 anos e 10 meses a soma das penas parcelares.


A TODO O VAPOR: Estas criaturas foram condenadas entre outras coisas por "associação criminosa". Serviram-se dos lugares que desempenhavam para trambicarem em proveito próprio prejudicando o Estado e consequentemente os cidadãos.
Curiosamente no caso de Vara, talvez a figura mais mediática não nos podemos esquecer que é arguido no Processo Marquês que quanto a mim me parece ter contornos muito mais complicados que o processo do Godinho das Sucatas.
Há que moralizar este país e este povo mostrando-lhe que o crime não pode compensar.

Sem comentários: