terça-feira, 4 de abril de 2017

DISCUSSÃO DO PDM FAZ ESTALAR VERNIZ ENTRE MAIORIA E OPOSIÇÃO



A Assembleia Municipal da Figueira da Foz reuniu-se ontem, em sessão extraordinária, por iniciativa da oposição em bloco, ou seja, PSD, CDS/PP, CDU e BE, tendo a revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) como único assunto da agenda

Houve momentos de alguma tensão política na troca de argumentos entre a oposição e a maioria, e a CDU acusou a mesa da assembleia de não ter preparado devidamente a condução dos trabalhos.

A sessão foi interrompida, na sequência de uma queda do presidente da câmara, João Ataíde. Apesar do aparato, o autarca não sofreu ferimentos.

Tanto o PSD como a CDU apresentaram propostas a defender a realização de sessões públicas de esclarecimento sobre a revisão do PDM nas freguesias e com a participação de decisores políticos do executivo camarário.

De um lado, a maioria socialista, que insistia que a sessão não se justificava, uma vez que o prazo de discussão pública, de 30 dias úteis, só ontem se iniciou. Por outro lado, a oposição, sustentado que a revisão do PDM deve ser amplamente debatida pela população.
Apenas os deputados da CDU se pronunciaram sobre o conteúdo do documento de forma mais pormenorizada, demonstrando que tinham feito o trabalho de casa.

“As suas casas e as suas atividades económicas, com o atual PDM, não valem nada”, afirmou João Ataíde. Com a proposta de revisão, porém, garantiu: “Este documento vai resolver a vida a muita gente; a centenas, a milhares”.

Texto e Foto: Diário as Beiras

1 comentário:

Anónimo disse...

resolver a vida sim a muita gente mesmo....aos presidentes das juntas...aos amigos...aos compadres....aos comilões....aos aproveitadores, enfim a todos menos aos ...Sem Abrigo|||