terça-feira, 25 de abril de 2017

E ASSIM ACONTECEU ABRIL!!!


O país estava calmo mas vivia numa paz podre onde imperava o silêncio e o medo. A Pide nos últimos meses redobrava a vigilância – a tentativa de golpe das Caldas deixara marcas profundas na Polícia do regime.

Estávamos na noite de 24 de Abril de 1974, grande parte da população provavelmente já dormia, porém em alguns quarteis – nomeadamente na RAP 3 da Figueira da Foz – a azáfama apesar de discreta era grande.

Cerca das zero horas de 25 de Abril na então Emissora Nacional o locutor da noite era Luis Filipe Costa e poucos minutos antes das zero horas foi para o ar o tema  cantado por Paulo Carvalho


Nas unidades militares as conversas entre oficiais e soldados aumentaram falou-se na hipótese de acontecer uma revolução e mais uma vez dos estúdios da Emissora Nacional surge a voz de um proscrito do regime, JOSÉ AFONSO, a cantar esse imortal tema


A revolução estava em marcha, apesar de todas as movimentações o povo português só começou a ter noção do que estava a acontecer quando aos microfones da Rádio Clube Português pelas 04:24 da madrugada surge a voz de Joaquim Furtado a ler o primeiro comunicado do Comando das Forças Armadas


As notícias corriam e os líderes da revolução começavam a ser conhecidos e entre eles um nome despontava  

Foi a REVOLUÇÃO DOS CRAVOS, não correu sangue (excepção feita na porta das instalações da PIDE em que foram disparados alguns tiros), Américo Tomás é imediatamente afastado da Presidência da Républica e Marcelo Caetano rende-se no interior do Quartel do Carmo

43 ANOS DEPOIS


2 comentários:

Anónimo disse...

As senhas não foram transmitidas pela Emissora Nacional. A primeira, "E depois do adeus" foi pela rádio Alfabeta dos Emissores Associados de Lisboa e a segunda "Grândola Vila Morena", pela Rádio Renascença.

Rogério Neves disse...

Caro Anónimo agradeço o alerta ou as correcções mas o que escrevi foi pesquisado em documentos históricos. De qualquer forma fica o seu comentário que agradeço