domingo, 30 de abril de 2017

LUIS RIBEIRO UNICO AUTARCA DO PS A DEFENDER CORREDOR VERDE NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

Na Assembleia Municipal de ontem, Luís Ribeiro foi o único deputado socialista a votar favoravelmente a moção que visava a integração do horto no parque de campismo municipal e a protecção de toda a área verde circundante, “evitando assim a sua mais do que provável venda e urbanização”.
O deputado votou na mesma linha do PSD, CDU e BE. A votação acabaria por não ser aprovada, tendo em conta os votos contra e duas abstenções dos deputados pelo Partido Socialista.
Acreditando que “esta batalha não está ainda perdida”, Luís Ribeiro partilha a sua intervenção:


"Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Municipal,
Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz,

1. Nos últimos vinte anos a possível venda e consequente Urbanização e/ou Edificação na área do Horto Municipal, prevista no actual PDM em vigor desde 1995, foi tentada por diferentes presidentes e Executivos camarários, sendo por inúmeras vezes debatida nesta Assembleia Municipal.
2. Desde pelo menos 1997 o Partido Socialista manifestou a sua reiterada oposição a esta urbanização, não podendo aqui deixar de referir a posição assumida no passado nesta mesma Assembleia nomeadamente por António Alves, líder da bancada do PS na Sessão de 30 de Junho desse ano: “O PS entende que o Horto Municipal deve ser mantido como mancha verde a preservar e a incluir em futura revisão do PDM”.
3. Subscrevo assim o que o PS e muitos Figueirenses têm defendido desde há muito – o CORREDOR VERDE previsto há várias décadas no Plano Garrett e no Plano Pessoa pode e deve ser uma realidade para a Figueira da Foz. E isso passa, na minha opinião, indubitavelmente pela preservação de toda a Área Verde circundante do actual Parque de Campismo, pilar fundamental de qualquer estratégia de Turismo.
4. Afirma a sua Declaração de Princípios que "O PS assume a defesa do ambiente e a promoção do desenvolvimento sustentável, como elementos essenciais de políticas orientadas pelo princípio da precaução, informadas pelo cuidado com o 
nosso futuro comum e fundadas no respeito por nós próprios e pelas gerações vindouras.”
5. O Projecto de PDM agora em fase de discussão pública não pode deixar de acautelar devidamente a envolvente do Parque de Campismo Municipal enquanto uma das mais nobres áreas da Figueira da Foz, com uma excepcional localização e centralidade equidistante do Mar e do Centro da Cidade, sendo assim uma espaço privilegiado para o lazer, o desporto e a fruição da Natureza.
6. Não temos o direito de desdenhar casuisticamente tudo o que no passado foi bem pensado, planeado e estruturado na Figueira da Foz. Cito a este respeito o Eng. Daniel Santos – “O DRAMA DO URBANISMO É QUE ALGUNS ERROS NELE COMETIDOS NEM NUMA GERAÇÃO SE CORRIGEM”. E a nossa Cidade dispõe já de vários e insanáveis exemplos disto mesmo.
7. Defender hoje o Horto Municipal – evitando o estrangulamento do Parque de Campismo e da área verde que o rodeia – é também defender o próprio Parque de eventuais aventuras futuras da sua alienação e liquidação, bem como a qualidade de vida dos residentes na malha urbana que o circunda.
8. Coerentemente defenderei assim nesta Assembleia Municipal que toda a área que compõe o HORTO MUNICIPAL e terrenos adjacentes a norte/poente deva ser afecta e integrada no PARQUE DE CAMPISMO MUNICIPAL e assim sendo classificada como área de Equipamento de Interesse Turístico.
Luís Manuel Mendes Ribeiro
Deputado Municipal do Partido Socialista”

SOBRE A ASSEMBLEIA MUNICIPAL, AS INTERVENÇÕES DE ANTÓNIO AGOSTINHO E DELMAR DANTAS PODEM SER LIDAS AQUI E A INTERVENÇÃO DE DIOGO SERÔDIO AQUI.



Sem comentários: