quarta-feira, 19 de abril de 2017

O DESFIGURAR DE UM MONUMENTO


O dia 18 de Abril foi o dia escolhido pela UNESCO para sensibilizar os cidadãos para a protecção e valorização do Património Histórico, tendo sido instituído o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.
Ontem (18 de Abril de 2017), na Figueira da Foz, nenhuma voz se fez ouvir para condenar o atentado perpetrado contra o Monumento aos Mortos da Grande Guerra. Nenhuma voz se levantou para exigir a (re)colocação da ESTRELA prateada que o encimava e que, por motivo desconhecido, está desaparecida HÁ MAIS DE 3 ANOS!!!
Foi a vontade de homenagear os mortos das duas unidades militares aquarteladas na cidade - o Regimento de Artilharia nº 2 e o Regimento de Infantaria nº 28 -, uma iniciativa cívica que a Câmara Municipal de então, deu corpo. E não sem polémica!
Considerado o Monumento como uma obra sem qualidade artística que, "na sua pelintrice e na inexpressão" era um "insulto aos pobres soldados, um insulto à arte e ao bom gosto, e ainda um insulto ao mérito do grande artista e mestre catedrático a quem se atribui a autoria do monumento [António Augusto Gonçalves], que deve (sic)ser antes de algum seu discípulo incipiente, para ficar mais baratinho à Câmara(...), como se escreveu no jornal "O Figueirense", na página 2 da sua edição de 15 de Junho de 1946. [conforme citação do Prof. Doutor Rui Cascão, na sua "Monografia da Freguesia de São Julião da Figueira da Foz, pp. 633 e 634]."
Fosse como fosse, e tendo demorado 7 anos a ser concluído, o Monumento aos Mortos da Grande Guerra é (era) um obelisco encimado por uma ESTRELA prateada. Liberdade artística? NÃO!
A Estrela prateada é (era) a razão de ser do monumento!!!
PORQUÊ? Porque apenas os combatentes e as unidades que estiveram na frente de batalha e suportaram o fogo inimigo, e se distinguiram pela sua acção militar têm (tinham) o direito ao uso/exibição desse sinal distintivo. De igual modo, sucedia com a atribuição da Medalha da Vitória, que todos os combatentes da Grande Guerra (em princípio) tiveram direito. Apenas a alguns, e não a todos, foi atribuído o uso da Estrela na passadeira da medalha.
ESTRELA prateada no Monumento aos Mortos da Grande Guerra da Figueira da Foz não é um pormenor que se possa "esquecer". É o elemento essencial, que lhe dá significado.
É URGENTE repor a dignidade do monumento que nasceu do querer do povo da Figueira da Foz!
Onde está a ESTRELA? 


Sem comentários: