segunda-feira, 22 de maio de 2017

INQUÉRITO ARQUIVADO A APRÍGIO NO CASO BPN


Justiça não encontra provas de crime em processo que envolvia um crédito de 39 milhões.


O Ministério Público arquivou, no início deste ano, a investigação a Aprígio Santos, empresário do setor imobiliário e ex-presidente da Naval 1º de Maio, por causa de um crédito de 39 milhões de euros que o BPN concedeu à Aprigius - Companhia de Investimentos Imobiliários Comerciais. Como o crédito está em incumprimento, a Parvalorem, entidade pública que herdou os ativos tóxicos do BPN, vai, segundo apurou o CM, executar a dívida.

O crédito foi concedido à Aprigius numa altura em que o BPN já estava nacionalizado e destinou-se ao pagamento de uma dívida que o grupo económico do empresário tinha a um fundo de investimento imobiliário do BPN, a qual não era suportada por qualquer garantia patrimonial. Com o crédito de 39 milhões de euros, a Aprigius pagou a dívida ao fundo de investimento imobiliário do BPN, dando vários imóveis como garantia desse empréstimo.

Como não foram encontradas provas da prática de crime, o Ministério Público arquivou o inquérito. A Parvalorem irá agora avançar com a execução da dívida, apropriando-se dos imóveis dados como garantia, se Aprígio Santos não apresentar um plano credível de pagamento da dívida. Na sexta-feira, o CM contactou Aprígio Santos, que disse ter conhecimento de que o inquérito foi arquivado mas escusou fazer comentários. 



Sem comentários: