sexta-feira, 25 de agosto de 2017

O DIA QUE PODE SER DA “REVOLUÇÃO DA REGENERAÇÃO NAVALISTA”

O dia 24 de Agosto, seja de que ano for é e será sempre uma data muito respeitada pelos Figueirenses pois neste dia homenageia-se e evoca-se “ A Revolução Liberal” que ocorreu em 24 de Agosto de 1820 e dela foi principal mentor e respeitada figura de proa o figueirense Manuel Fernandes Tomaz (ou Thomaz), ao qual Almeida Garrett chamou Patriarca da Regeneração Portuguesa.

Ontem 24 de Agosto poderá ter sido o “Dia da Regeneração da Veneranda  Associação Naval 1º de Maio fundada no ano de 1893 com a apresentação dos Corpos Sociais da (Novel) Associação Naval 1º de Maio 1893 instituição recentemente criada que tem como objectivo principal e primordial devolver à Associação Naval 1º de Maio o “Prestigio de uma colectividade com 124 anos”, “Devolver o ecletismo aquele que foi dos mais ecléticos clubes figueirenses” e sobretudo “apoiar os jovens na pratica das modalidades  desportivas que escolheram como opção.

Institucionalmente ou no Quadro Competitivo do Desporto Português vai eventualmente aparecer a partir de agora  uma Naval 1º de Maio a participar em três frentes, quiçá até por capricho se defrontar contra si mesma.

É isto que de momento vamos tentar explicar de forma sintética e simples para que todos compreendam. Em 1 de Maio de 1893 foi fundada a Associação Naval 1º de Maio, clube que hoje ostenta 124 anos de passado desportivo e é simplesmente a 3ª ou 4ª colectividade mais antiga do país.

No ano de 2010, Aprigio Santos resolveu constituir a Naval Futebol SAD (de má memória) um produto toxico com o intuito de mistificar dívidas e outros assuntos pouco confessáveis. Mais ou menos por esta altura e quando os homens do futebol inventaram aquele “Chavão” da ” engenharia financeira” também Aprigio não se quis deixar ficar atrás e constituiu uma série de empresas a gravitar  há volta da Naval que tiveram nomes pomposos “Naval SPJ” “Naval Capital” e Naval Imobiliária”, contudo, nunca ninguém soube o que eram estas mirabolosas empresas.

De facto os sócios da Naval nunca souberam o que era isto escreva-se entretanto que também não tinham forma de o saber … pois Aprigio nunca permitiu que os sócios da Naval fossem accionistas do Clube, isto é, para além dos 20% obrigatoriamente detidos pela Naval 1º De Maio os restantes 80% estiveram sempre na sua mão o que quer dizer que nunca nenhum associado teve possibilidades de discutir ou intervir no que quer que fosse desta aberração chamada Naval SAD



 Perante este quadro e uma rotura financeira vertiginosa alguém para salvar a pele instituiu os PERS (Plano Especial de Revitalização) e se Aprigio criou um PER para a Naval SAD -ninguém lhe pode levar a mal (ele era o DDT …dono disto tudo)  o pior de tudo aconteceu pouco tempo depois quando a Naval 1º de Maio de forma ardilosa se viu arrastada também para um PER  ver aqui aprovado em A G ilegal através de diversas habilidades e aí sim, sem conhecimento da situação financeira por parte dos sócios o clube se viu diante de uma dívida a rondar os 5 milhões sem qualquer explicação.

Ontem dia 24 de Agosto pode ter sido o primeiro dia de um novo ciclo na emancipação da Naval, no seu regresso aos sócios e sobretudo na luta por uma dignidade roubada e há muito perdida.

Não sou surdo também ouço conversa de café e já se palra por aí que se cometeu uma ilegalidade. Se de facto existe – creio que não – alguma ilegalidade – se esta tem como pressuposto dignificar a Naval e fazê-la uma bandeira desportiva da cidade pois que se cometam esta e muitas mais ilegalidades (?) mas o que mais me admira é que os “Campeões da legalidade” os mesmos que ilegalmente aprovaram Relatórios e Contas sem Pareceres obrigatórios dos Conselhos Fiscais, os mesmos que choraram baba e ranho pelos milhões que o Senhor Aprigio colocava na Naval nunca souberam explicar e especificar nos Relatórios de Contas (Armadilhados) onde foram parar os milhões referentes à venda de jogadores como Yanick,  Ney, Marcelinho, Fogaça, Fábio Júnior já para não falar dos negócios esquisitos da venda dos passes de João Pedro ao Braga e Ricardo ao Vitória de Guimarães.

Pronto não vim aqui lavar roupa suja, mas há coisas às quais não se pode simplesmente passar uma esponja  há que desmistificar aqueles (heróis?) que dizem que deram tudo à Naval mas que não passaram de autênticas sanguessugas roubando-lhe tudo e servirem-se de uma nome prestigiado para logo a seguir o conspurcarem.

Já agora apenas uma pergunta. O terreno da Rua da Republica onde foi a sede da Naval que ardeu está onde? Ao nome de quem ? Que negócios se fizeram à conta dele. Esse terreno é da Naval 1º de Maio e é a Naval o seu proprietário (será?)

Ontem, 24 de Agosto foi apresentada oficialmente a Naval 1893 bem como todos os seus corpos sociais.
Paulo Bispo lidera uma equipa de 14 elementos e deu a conhecer os objectivos, mas fez também um apelo importante. A Naval precisa de todos, até dos que são da Naval e nos últimos anos se têm vindo a afastar e pede o seu regresso como associados pois uma das principais tarefas a prazo mais ou menos imediato é recuperar o ficheiro de sócios.

A Nível Nacional equipas de Juniores, Juvenis e Iniciados a Naval compete sob a bandeira da Associação Naval 1º de Maio. Nas competições Distritais todas as equipas foram inscritas  como Naval 1893 incluindo uma de seniores (que vai ser treinada por João Pereira) constituída por atletas formados na Naval e outros que por cá passaram. Ainda a nível Distrital  (Divisão de Honra) a Naval apresentará uma equipa de seniores que irá ser dirigida por José Dinis e competira sob o nome de Naval Futebol SAD.

        Rogério Neves
(Sócio cinquentenário)




18 comentários:

Anónimo disse...

Rogério;
Quis o destino que fizesses uma interrupção forçada nas tuas publicações . Esse mesmo destino guardou para ti noticias da tua/nossa Naval, foste para o "intervalo" com a publicação do alerta dado no jornal O Publico, voltaste e iniciaste a segunda parte com essa maravilhosa noticia do renascer.
Quero também deixar-te uma palavra de estimulo, tanto para a tua recuperação, como para belíssimo trabalho que fazes no teu blogue. Nestes anos que tenho andado fora do país, tem sido através das tuas publicações que na esmagadora das vezes sei as noticias da nossa terra em primeira mão.
“A vida é luta renhida, que aos fracos abate, e aos fortes, só faz exaltar.”
[Canção do Tamoio]
Um abraço
Licínio Costeira

Anónimo disse...

Caro Rogério antes de mais folgo em vê-lo regressar ao seu blog votos de que o faça na plenitude da sua saúde depois quero dizer-lhe que não há regeneração nenhuma a nossa Associação Naval 1º de Maio acabou morreu agora temos um clube novo na cidade que segundo o emblema que pode ver-se na foto se chama Naval 1983 e a quem saúdo e desejo os maiores votos de um grande sucesso para bem do desporto Figueirense.
Um abraço e votos de muita saúde.

Rogério Neves disse...

Caro Anónimo das 21:43. Sinceramente até há algum tempo atrás eu pensava da mesma maneira como você pensava e dizia para com os meus botões A Naval 1º de Maio morreu. Eventualmente se calhar morreu institucionalmente. Porém hoje já não penso assim. A Naval 1º de Maio continua a respirar embora o seu respirar esteja comprometido por duas razões:
- 1ª Uma divida de quatro milhões e meio

- 2ª Pela boa vontade de um juiz que a qualquer momento pode decretar a sua insolvência.

Perante este quadro aparece-nos a Naval 1893 que tem como objectivos e pressupostos a atingir todos aqueles que foram a forma de viver da Naval 1º de Maio durante 124 anos.
Aparece uma Naval 1893 com uma Direcção credível, disposta a dar a acara pelo projecto composta por gente que conhecemos e sabemos que de certa forma pensam e sentem a Naval.
Se a Naval 1º de Maio actualmente está impedida de fazer protocolos com entidades diversas especialmente as oficiais, se está impedida de receber subsídios, se não lhe é permitido habilitar-se a um certo número de coisas devido às dívidas que não contraiu mas que lhe foram impostas ardilosamente pois a Lei não lho permite porquê esses protocolos não poderão ser feitos pela Naval 1893 que não deve nada a ninguém.
O que me parece neste momento e deverá ser correcto é conseguir trazer de volta os navalistas que têm andado afastados, fazê-los vir novamente a pagar quotização, explicar-lhes muito bem este processo e jamais colocar a Naval 1º de Maio e a Naval 1893 como entidades diferentes, com objectivos diferentes, etc,etc.
Se assim acontecer estou optimista e penso que uma Naval (1º de Maio) pode completar a outra (Naval 1893) e das duas fazer renascer a NOSSA NAVAL.
É por isso que os navalistas deverão lutar.

Anónimo disse...

Caro Rogério comungo da tua opinião no que diz respeito ao teu optimismo mas só para que este novel clube possa dignificar a cidade mas nunca será o renascer da Naval quando muito será o renascer da sua equipa de futebol.
A Associação Naval 1º Maio era muito mais que futebol essa Naval com mais de 120 anos de história cultural e desportiva faleceu e infelizmente para a cidade chamais ressuscitará.
Não é querer ser saudosista mas a verdadeira Naval dos bailes do desporto do teatro das grandes assembleias que era um baluarte da cultura Figueirense há muito que já morreu paz ás sua alma e as boas vindas a este novo clube com votos de muito sucesso e que a cidade lhe saiba dar o apoio que merece.

Rogério Neves disse...

Não sei se o meu amigo esteve na reunião de Naval 1893. Se não esteve Paulo BIspo anunciou que um dos pressupostos fundamentais do novo clube é devolver-lhe o ecletismo Desportivo e Cultural que outrora pertenceu à Naval
Como o amigo sabe a Naval não tem sede nem Pavilhão e sem Pavilhão as coisas tornam-se mais dificeis. Mas porque não pensar que num futuro próximo junto dos quadros comunitários não possa a Naval candidatar-.se a um estrutura desportiva que lhe permite ser ecletica. Não esqueça que o Remo teve de adoptar uma situação mais ou menos identica à da Naval 1893 e não perdeu entidade , pelo contrario continua a ganhar titulos e a fazer um excelente trabalho na formação desportiva.
Finalizo referenciando que esta nova direcção vai tentar saber qual é a verdadeira situação do terreno da Rua da Republica que lulgamos ser pertença da Naval. A partir daí pode acontecer tudo

Anónimo disse...

Sim caro Rogério estive nessa reunião e fiquei muito satisfeito por ver renascer o futebol na minha cidade mas repito renascer a verdadeira Naval é uma tarefa do outro mundo mas continua a sonhar faz-te bem á alma e alimenta-te o ego.
Quero também desejar a toda essa direcção de gente corajosa os maiores votos de felicidade e uma vida de sucessos e que consigam por a Naval 1983 no topo do desporto Figueirense e dignificar a cidade a nível nacional.
Dizer também que vou ser sócio esperando que toda a cidade responda a esta lufada de ar fresco no desporto da Figueira da Foz.
Abraço

Anónimo disse...

Mas as mensalidades dos Pais da Crianças e a Torre Vodafone do Estádio dá para “alimentar” duas Navais??? Com braços de trabalho como o Joka, Marito, Bispo, etc vai ser somente paleio e tentar “mamar” da cmff… antes de pousarem para a fotografia já podiam ter capinado o campo e pintado as bancadas do Bento Pessoa. Antes de Parecer é preciso Ser.

Rogério Neves disse...

Estive mesmo para censurar o comentário do anónimo das 11:22 mas resolvi não o fazer para se ver até onde vai o ódio e a maledicência a um clube que quer viver e quer ajudar os nossos jovens a praticar desporto.
Em primeiro lugar ainda agora começaram a trabalhar e já aparem os arautos da desgraça a provocar, insultar quem quer tentar por o clube a funcionar e vejam só o preciosismo. A CAmara Municipal protocolou o Estádio com a Naval SAD mas o nosso comentador não aponta para que um dos administradores da Naval SAD "capine o campo" mas sim os recem-eleitos da Naval 1893.Mas o mais curioso de tudo é o anónimo vir falar na "Torre da Vodafone" que ao que me foi dito nada tem a ver com a Naval mas o anónimo já descobriu que aquela torre é um filão de ouro para a Naval mesmo sem receber nada em troca. Caro Anónimo tem todo o direito de não gostar da Naval ou das pessoas que lá andam, mas seja construtivo e não entre na politica de terra queimada que é a mesma coisa que dizer "quanto pior melhor" ou será que anda por aí alguma dorzita?

Anónimo disse...

Rogério o anónimo das 11h22 so pela primeira frase descobri logo quem era ,enfim tava a espera que o convidassem para a foto. Vamos em frente Naval !

Joana Seco disse...

Como foi aqui dito , a Naval 1893 vem tentar e vai conseguir , manter bem vivo o nome da Naval . E se um dia se conseguir recuperar a A. Naval 1º de Maio , estará cumprido o desígnio da Naval 1893 . Nada mais , o que muitos clubes já fizeram .

Anónimo disse...

Caro Rogério a Naval 1983 foi fundada em 10 de janeiro de 1914 com escritura feita em Montemor.Porque não nos informaram na reunião desta escritura e desta data da fundação do clube.
Abraço.

Rogério Neves disse...

"Naval 1983 foi fundada em 10 de janeiro de 1914" Parece-me que deve haver aqui um lapso de datas. A oficialização provavelmente foi feita na altura em que os seus dirigentes acharam ser a mais propicia para o clube. Note que a sua primeira Direcção foi eleita há dias a Naval 1893 apenas constava do papel. Se calhar havia razões para proceder assim mas a próipria direcção é que o poderá explicar.

Anónimo disse...

Caro Rogério não há engano de datas.
A Associação Naval 1983 foi fundada em 10 de Janeiro de 1914 com escritura feita em Montemor
Aconselho te a visitar o blog--outra margem--
Grande abraço.

Rogério Neves disse...

Eu continuo a dizer que existe um erro de datas. Não quer o anónimo dizer 2014 em vez de 1914

Anónimo disse...

Ok peço desculpa caro Rogério,penitencio-me errei realmente a escritura foi feita no dia 10 de Janeiro de 2014.
No entanto deixo as mesmas perguntas.
Porque foi feita em Montemor essa escritura?Na Figueira não se fazem?
Porque não nos foi dito na reunião a data da fundação da Associação Naval 1983.
Penso que os futuros sócios têm o direito de por estas questões e se possível pelo menos saber a data da fundação do clube.
Cordiais saudações Navalistas.
Grande abraço.

Anónimo disse...

Caro Rogério ainda não vi publicado o meu comentário penitenciando-me pelo meu erro nas datas. Espero que seja apenas um esquecimento pois não acredito que o tenhas censurado já que nada tem de ofensivo.
Grande abraço.

Rogério Neves disse...

Os sócios têm o direito de saber tudo. Todavia existem assuntos que devem ser discutidos nos locais certos e apropriados e não publicamente para não dar direito a especulações. As questões que o caro comentador coloca devem ser colocadas aos dirigentes da Naval 1893 e certamente obterá as respostas pretendidas.

PS: Peço desculpa pelo atraso na publicação do comentário. Censura aqui não existe a não ser por provocação ou insulto o quye não é o caso.

Anónimo disse...

Exactamente porque os sócios têm o direito de saber tudo e porque o local próprio era aquela reunião porque nos foi sonegada essa informação ?
Não quero acreditar que estejamos a começar mal.
Saudações Navalistas e aquele abraço.