terça-feira, 3 de abril de 2018

SÓ FALTAVA MAIS ESTA...MULHERES FORÇADAS A PROSTITUIR-SE NA FIGUEIRA DA FOZ



Sob falsas promessas de um trabalho sério e bem remunerado, várias mulheres terão sido aliciadas para a prostituição, na Figueira da Foz, por uma rede de tráfico de pessoas que está agora a ser julgada no Tribunal de Coimbra. Sempre que as vítimas resistiam, eram ameaçadas e agredidas.

O caso inclui cinco arguidos: uma mulher e quatro homens de nacionalidade romena. Estão acusados de aliciarem mulheres no seu país, onde procuravam sobretudo vítimas jovens, pobres e vulneráveis, às quais prometiam uma vida melhor. Em Portugal eram forçadas a prostituírem-se e, refere a acusação, obrigadas a entregar todos os rendimentos aos arguidos.

 Dois receberam transferências de quase 29 mil euros. Uma das vítimas - que denunciou o caso às autoridades em abril de 2017 - terá sido obrigada num só dia a manter relações sexuais com 12 homens, entregando 250 euros aos arguidos. O grupo é acusado de reter os documentos das vítimas e de as vigiar permanentemente, mesmo quando estavam com os clientes.

As mulheres ficavam todas na mesma casa, mas era na rua que se prostituíam. Seriam os próprios arguidos a definir os preços praticados por cada serviço - 15 euros por ato sexual ‘normal’ e 20 por sexo oral - e a fixarem as quantias mínimas diárias que cada uma teria de fazer e que variavam entre os 200 e os 250 euros.

Em tribunal, todos os arguidos negaram os factos. Em causa estão os crimes de associação criminosa, tráfico de pessoas, lenocínio, ofensas à integridade física e coação.



Sem comentários: