sábado, 7 de julho de 2018

MAIS UMA NO CURRICULUM... A ÚLTIMA


A TODO O VAPOR:... No próximo dia 10 de Agosto uma vez mais vou subir a palco para representar a peça "Um Pedido de Casamento" de Anton Tchekhov peça integrada no 136ª Aniversário da Sociedade Filarmónica Dez de Agosto. 
Já perdi a conta às peças que representei, dividi a minha actividade de amador teatral pela Dez de Agosto, Sociedade Instrução Tavaredense, Os Dinâmicos, Filarmónica Figueirense e ainda algumas participações no Grupo NATA. 
Todavia há um facto que não esqueço foi por volta de 1959/1960 que pela primeira vez pisei um palco, curiosamente foi na Filarmónica Dez de Agosto.
Jamais me passaria pela cabeça que 58 anos depois eu viria a fazer a minha despedida no Teatro Amador exactamente no palco onde me iniciei a Filarmónica Dez de Agosto.
Sim, esta vai ser a minha última peça e antecipadamente agradeço aos meus colegas de palco, Fernando Lopes e Ana Paula, bem como à encenadora Ana Madureira a paciência que têm tido comigo, pois a cabeça já não é a mesma e decorar "papéis" é um exercício que o meu cérebro começa a rejeitar. De qualquer forma aqui fica o convite não esqueçam, encontra-mo-nos na Dez de Agosto no dia 10 de Agosto.

1 comentário:

Ana Madureira disse...

Esta mania que os artistas têm de dizer dez vezes que é a última vez que vão pisar o palco...
Quem assistisse a um ensaio desta peça e visse a boa disposição, o bom-humor, o talento e a graça inata com que o Rogério está a compor a personagem e a contracenar com os colegas, percebia logo que esta vai ser apenas a primeira das muitas "últimas" que se seguirão de certeza. Pela minha parte, como encenadora (que nem sou), mas principalmente como actriz (que é o meu pelouro), já não o largo! E só tenho a agradecer-lhe o empenho, o entusiasmo, a jovialidade e a juventude com que nos tem brindado. Mas palavras para quê? Venham assistir à ante-estreia da peça no aniversário da Dez de Agosto e depois dir-me-ão se tenho ou não tenho razão. Entre o nosso Rogério, a Ana Paula Veloso e o Fernando Carlos Lopes, não vão ter barriga para tantas gargalhadas. Vemo-nos lá e contamos todos para ter casa cheia.
Ana Madureira