terça-feira, 19 de abril de 2011

A prepotência continua... Capítulo II

Hoje dia 19 de Abril, uma vez mais, o senhor Joaquim Barros de Sousa impediu-me de fazer a cobertura jornalística para o Jornal A Bola da apresentação e divulgação dos Prémios “Bento Pessoa” 2011, evento realizado na Sala Montemor do Casino Figueira.

A eminência parda, como lhe é peculiar e habitual e com a má educação e prepotência que se lhe reconhece pegou-me no braço(com alguma brutalidade) e ordenou a minha saída da Sala Montemor do Casino da Figueira, argumentando que eu não era dos jornalistas “credenciados por si” para a cobertura do evento.

Fiquei surpreendido, pois não sabia que a “eminência parda” tinha já o poder de escolher quais os jornalistas que quer ou deseja para cobrir os eventos em que intervém.

A armadilha falhou

Como me considero uma pessoa bem educada e perante as personalidades presentes, percebi perfeitamente a armadilha que me estava a ser montada, isto é, o dito cujo, queria provocar-me e incentivar-me a fazer uma “peixeirada” ficando à vista de toda a gente que eu era uma individuo sem princípios, mau carácter e ele porventura a vítima da minha má educação ou eventualmente do meu mau feitio.

Enganou-se Dr Sousa. As acções e atitudes ficam com quem as pratica, e não é por o Senhor ostentar o titulo de doutor de receber medalhas de ouro ou de lata que lava a sua  imagem ou  que altera  a ideia que  as pessoas têm de si.

Já uma vez lho disse e repito-o: Apesar de todas as "queixinhas" que o senhor têm vindo a fazer a alguns Directores dos Jornais para quem trabalho eu continuo a não ter medo de si, e enquanto puder, continuarei a denunciar as arbitrariedades e prepotências que o senhor continua a cometer.

Mais uma vez fica explicito que se eu muitas vezes não dou notícias do Ginásio Figueirense é porque a liberdade de expressão – não sei se o senhor sabe o que isso é – nos locais onde o senhor interfere é apenas uma figura de retórica.

A verdade é como o azeite vem sempre ao de cima. Uma pessoa pode perder tudo na vida, menos a dignidade, no dia em que a perder deixou de ser gente e isso eu não permito que aconteça comigo.

São testemunhas deste episódio os jornalistas José Santos (D Coimbra) Vania Furet (Diário as Beiras) e Raquel Vieira (O Figueirense)

15 comentários:

Anónimo disse...

e agora como ficamos?

Anónimo disse...

Parabéns Rogério pela tua postura que revelou seres um homem de bem, educado e profissional.Quanto a essa figura, que ficará na historia da Figueira como uma figurinha típica como o foram Visconde, Paulino e outros.Esta figura parda a que se da o nome de pancada não passara aos olhos de todos como figurinha típica que usa a prepotência como arauto da sua personalidade.
Lamento que se sirva de instituições com relevo na cidade para se masturbar intelectualmente produzindo cada vez mais ódios entre instituições como o são entre Ginasio/Naval. não te cales Rogério que a tua missão é informar.

Anónimo disse...

Só uma pergunta, se é que posso: o presidente da Direção não estava presente? Apesar de ser uma atividade da Tertúlia, penso que o clube ainda tem presidente! Ou será só no papel???

Rogério Neves disse...

Como ficamos?
Do ponto de vista pessoal, ficamos de consciência tranquila perante mais uma acção de prepotência. Do ponto de vista legal vai seguir uma participação para o Sindicato dos Jornalistas, Clube Nacional de Imprensa Desportiva e provavelmente Entidade Reguladora da Comunicação.

Anónimo disse...

caro anonimo das 13.33 comparar quim sousa a Paulino ou Visconde é desrespeitar a memoria dessa duas figuras emblematicas da figueira da foz pelo menos na educação um abraço.

Rogério Neves disse...

Caro Anónimo das 13:29

Pode fazer as perguntas que quiser.
O Senhor Presidente do Ginásio Engº Tomé estava presente na sala. Não sei se teve conhecimento desta atitude já que o vi a conversar com outras pessoas que estavam na Sala, Presidente do Comité Olimpico, Vicente Moura e Dr Domingos Silva Administrador do Casino Figueira entre outros. Contudo a bem da verdade se diga que quando o Engº Tomé entrou na Sala eu já lá estava, apertou a mão e cumprimentou os jornalistas presentes incluindo a minha pessoa á qual eu retribui o cumprimento. Mais o Senhor Capitão Guerra, que julgo ser o presidente do Conselho Geral do Ginásio e da Tertúlia Bento Pessoa de igual maneira me cumprimentaram sem qualquer hostilização.
Aliás quero deixar bem explicito que não fui maltratado por ninguém salvo a atitude da personalidade que vem referenciada no "post".

António Agostinho disse...

Meu caro Rogério:
Tive conhecimento deste lamentável caso hoje cerca das 6 da manhã.
À pressa, pois tinha horários a cumprir, fiz o post que está no Outra Margem.
Estive à espera que os teus colegas jornalistas que presenciaram os factos se referissem a este atentado à Liberdade de trabalho e de expressão.
Que eu tenha conhecimento, até ao momento, nada. Tirando o Marcha do Vapor, o Outra Margem, o Aldeia Olímpica e O Sítio dos Desenhos, há um manto de silêncio so bre o assunto.
Nada que me admire, aliás. Mesmo os comentários que estão no teu blogue são de Anónimos.
O que é elucidativo...
A Figueira é isto. Terra de gente que tem medo de tudo. Até do seu reflexo no espelho. Talvez até do espelho…
Na Figueira, há quem, de ter tanto medo, se esqueça de viver.
Quem prefira – e é a maioria - a vidinha à vida e morra de medo sem nunca se ter atrevido a correr o risco de correr riscos para o combater.
Um abraço solidário do
António Agostinho

Paulo disse...

Caro Rogério, faz muito bem em denunciar estas situações. Da minha parte só tenho a agradecer por serve para nos informar com precisão acerca do assunto.
Obrigado pela sua postura que se tem pautado sempre pela isenção.

Norberto disse...

Rogério, a minha solidariedade para contigo perante tal atentado à liberdade de informar. Se acontecesse comigo, além de o denunciar, iria até às mais altas instâncias, pois não suporto ditadorzecos...

Anónimo disse...

Só tive conhecimeto agora deste acontecimento vergonhoso...
Ficar surpreendido não fico nos tempos que correm...
O que fico surpreendido Rogério...é no seu texto continuar a chamar de "senhor" a esse tipo de personalidade...
Quanto ao resto...deixo aqui a minha solidariedade para consigo,que sei ser um bom ser humano e um óptimo profissional da comunicação social...

Custódio Cruz

"...O TEMPO MOSTRARÁ

Rui Fernandes disse...

É pena continuar a haver predadores esquizoides nesta sociedade, que apenas existem para protagonismo e caciquismo, quando todos sabemos que, para além do mau feitio e da maledicência, a nicotina ( leia-se "factor de intoxicação" ) é factor determinante na sua postura anti-social.
Rogério Neves, acredite a minha amizade e a minha sensibilidade para com a sua pessoa.
Quanto ao outro interveniente, por demais protagonizado em situações desta índole e desta baixeza, apenas temos que, como figueirenses, respeitar os verdadeiros figueirenses, e, se algum dia quizerem dar o nome dessa personalidade a qualquer local desta cidade, nem sei se a vala das abadias o mereceria.
Abraço de respeito e de amizade para consigo.
Rui Fernandes

Rogério Neves disse...

Recebi uma mensagem de solidariedade que muito agradeço. Acontece que a mensagem traz um "PS" com considerações a uma outra personalidade que em principio nada tem a ver com a situação daí eu solicitar à pessoa que me enviou a mensagem o favor de a repetir, contudo sem incluir as considerações finais.

rgs disse...

Força meu Amigo.
O tempo é o melhor conselheiro e esse, corre a seu favor.

Anónimo disse...

Anónimo disse...
Como figueirense, envergonha-me que recentemente a Câmara Municipal da minha cidade tenha distinguido uma personalidade que durante décadas mais não fez do que defender os interesses prórpios e dos amigos. Este indivíduo nem sequer defende os interesses do clube do qual é dirigente, já que o ajudou a moldar à imagem de uma casa de interesses e cunhas.
Tenha vergonha Sr. Joaquim de Sousa! Você envergonha a nossa cidade e o clube que em tempos já me foi muito querido.

Um grande abraço para o Rogério, que há muito pauta o seu trabalho por uma ética e uma frontalidade ímpares.

Anónimo disse...

Até fico de boca aberta com a pequenez dessa criatura...
Só demonstra falta de educação, não comeu pastelinhos de nata em miúdo.
Lamento que coisas destas sucedam a quem tenta fazer o seu trabalho e ainda lamento mais que gente desta tenha tempo de antena.
Quanto a si Rogério, a minha vénia pelo sangue frio de passar por uma coisa dessas sem nunca vacilar!

Joana Alvim